Networking

Agrichains & DAgro Winter Conferences

December 2nd, 2016

From November 14th 2016 to January 18th 2017, researchers and company managers will talk about topics ranging from the Carbon Market, GMO, Genetic Resources and Biodiversity and Circular Economy.

Free entrance!

Agrichains_Winter_Conferences_2016-17

Promoting the consumption of LEGUMES

November 2nd, 2016

CITAB and EUROLEGUME researchers went to secundary schools during the World Food Week 2016 to promote the consumption of Legumes! Students from Lamego and Vila Real could hear about and see lentils, faba beans, cowpeas, chick peas and beans!

Banner_Leguminosas_Minfo_v2_3

CITAB’s No.8 Newsletter is already available

January 11th, 2016

CITAB’s No.8 Newsletter is already available online.

Newsletter_CITAB_December_2015_N8_Web_Cover_Page

Descoberta nova espécie de mamífero em Portugal com apoio do CITAB

November 6th, 2015

Macho adulto de Rato_das_neves no seu habitat_Gonçalo RosaEquipa do CITAB e do CIBIO-InBIO confirma a descoberta do rato-das-neves, no Parque Natural de Montesinho, em Lama Grande, Bragança.

A espécie rato-das-neves (Chionomys nivalis) acaba de dar entrada no registo de mamíferos em Portugal, graças à colaboração do CITAB e do Centro de Investigação em Biodiversidade e Recursos Genéticos (CIBIO-InBIO).

‚ÄúEsta esp√©cie n√£o √© uma praga: concentra-se exclusivamente em regi√Ķes montanhosas e √© bastante sens√≠vel a altera√ß√Ķes do habitat. Al√©m disso, como todos os roedores, tem um papel importante na dissemina√ß√£o de sementes‚ÄĚ, explica H√©lia Vale Gon√ßalves, especialista em micromam√≠feros, do CITAB.

O rato-das-neves tem longos bigodes (vibrissas) brancos, patas posteriores muito desenvolvidas e cauda comprida. √Č pardo, com tons que variam entre o cinzento e o branco.

A esp√©cie foi observada no ver√£o de 2014 pelo fot√≥grafo de vida selvagem Gon√ßalo Rosa, no √Ęmbito de um trabalho fotogr√°fico de algumas esp√©cies de mam√≠feros presentes em Portugal.

‚ÄúNuma manh√£, ao verificar as imagens de uma c√Ęmara que tinha colocado debaixo de uma grande pedra de granito, descobri que um animal havia ativado a c√©lula. O roedor fotografado n√£o parecia ser de nenhuma esp√©cie que eu conhecia‚ÄĚ, conta Gon√ßalo Rosa.

As fotografias foram enviadas para os investigadores do Laboratório de Ecologia Aplicada, inserido no CITAB, da Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, Hélia Vale Gonçalves e Paulo Barros, que confirmaram de imediato que se tratava de uma nova espécie, em Portugal.

‚ÄúInstal√°mos armadilhas espec√≠ficas no local e conseguimos capturar dois animais: um macho e uma f√™mea. Foram registadas as medidas biom√©tricas (peso, comprimento da orelha, cauda, pata posterior e corpo) e recolhidas amostras para an√°lise gen√©tica. Os animais foram libertados de seguida no local de captura‚ÄĚ, revela H√©lia Vale Gon√ßalves.

As amostras dos dois indiv√≠duos seguiram para an√°lise gen√©tica no CIBIO-InBIO e os resultados obtidos permitiram verificar que s√£o geneticamente pr√≥ximos, mas diferentes das popula√ß√Ķes j√° estudadas do centro de Espanha.

‚ÄúO rato-das-neves tem uma distribui√ß√£o fragmentada na Europa, pois encontra-se restrito a zonas montanhosas, e as suas popula√ß√Ķes apresentam uma diferencia√ß√£o gen√©tica consider√°vel ao n√≠vel mitocondrial‚ÄĚ, refere Joana Paup√©rio. A investigadora do CIBIO-InBIO revela ainda que ‚Äúa popula√ß√£o detetada em Portugal est√° localizada no limite da √°rea de distribui√ß√£o, mas √© geneticamente pr√≥xima das restantes popula√ß√Ķes ib√©ricas. As popula√ß√Ķes espanholas est√£o classificadas como quase amea√ßadas, pelo que a descoberta desta popula√ß√£o em Portugal tem elevada relev√Ęncia para a conserva√ß√£o deste roedor.‚ÄĚ

A revista Italian Journal of Zoology acaba de publicar o artigo cient√≠fico da equipa de investigadores que confirma a presen√ßa do mam√≠fero em Portugal, dispon√≠vel em http://goo.gl/Nl9UBS. Os investigadores salientam ainda que dever√£o ser conduzidos ‚Äúcensos regionais rigorosos da distribui√ß√£o dos micromam√≠feros para a efetiva conserva√ß√£o desta esp√©cie‚ÄĚ.

Foto: Gonçalo Rosa

CITAB e UPM estudam ‚Äúrob√īs do futuro‚ÄĚ com aplica√ß√Ķes na sa√ļde e ind√ļstria

November 2nd, 2015

A docente e investigadora Maria Gomez no centro e os investigadores do CITAB Ronaldo Gabriel e Helena Moreira

O CITAB e o Laborat√≥rio de Biomec√Ęnica Desportiva (LBD), da Universidade Polit√©cnica de Madrid (UPM), est√£o a estudar ‚Äúrob√īs do futuro‚ÄĚ (exoesqueletos) que podem auxiliar, por exemplo, na locomo√ß√£o de pessoas com problemas de sa√ļde ou ser utilizados para fins industriais ou militares.

‚ÄúEstamos a validar a aplica√ß√£o de exosqueletos √† locomo√ß√£o b√≠pede humana‚ÄĚ, explica o investigador do CITAB, Ronaldo Gabriel. ‚ÄúOs exoesqueletos v√£o permitir que pessoas que atualmente possuem grandes dificuldades de locomo√ß√£o em espa√ßos naturais, possam vir a ultrapassar esses problemas e, assim, poderem usufruir do aumento dos benef√≠cios de uma pr√°tica de atividade f√≠sica em ambiente natural, comparativamente √† pr√°tica indoor‚ÄĚ, acrescenta.

Al√©m disso, as estruturas podem ter resultados na produ√ß√£o industrial, dignos de cinema de fic√ß√£o: ‚ÄúA ind√ļstria cinematogr√°fica tem-nos mostrado rob√īs que aumentam exponencialmente as capacidades dos atores, praticamente transformados em super-her√≥is. Na realidade, os exoesqueletos s√£o utilizados para aumentar a for√ßa e a resist√™ncia das pessoas saud√°veis e como forma de compensa√ß√£o de capacidades e integra√ß√£o de pessoas com incapacidades, em contexto de trabalho‚ÄĚ, esclarece Ronaldo Gabriel.

Segundo a equipa de investigadores, o aumento do interesse da Península Ibérica no desenvolvimento deste tipo de dispositivos está relacionado com a recente criação de empresas dedicadas ao desenho, desenvolvimento e comercialização de exoesqueletos para a reabilitação da locomoção.

O trabalho enquadra-se na tese de doutoramento da investigadora do Laborat√≥rio de Biomec√Ęnica Desportiva, da UPM, Mar√≠a G√≥mez, que escolheu os investigadores do CITAB Ronaldo Gabriel e Helena Moreira e o Laborat√≥rio de Biomec√Ęnica, Composi√ß√£o Corporal e Sa√ļde (LaB2Health) da UTAD, para desenvolver parte da tese de doutoramento.

‚ÄúA minha escolha baseou-se na estrat√©gia de desenvolvimento institucional da UTAD, do CITAB e do LaB2Health, que consideram a promo√ß√£o dos servi√ßos de sa√ļde dos ecossistemas, assim como as compet√™ncias instaladas no LaB2Health, e internacionalmente reconhecidas, nos dom√≠nios da biomec√Ęnica e da composi√ß√£o corporal‚ÄĚ, revela Mar√≠a G√≥mez.

Para al√©m da conclus√£o do doutoramento e da publica√ß√£o de um artigo conjunto no primeiro trimestre de 2016, est√° previsto o alargamento da intera√ß√£o entre os laborat√≥rios dos centros de investiga√ß√£o das duas institui√ß√Ķes, atrav√©s de interc√Ęmbio de investigadores e de alunos de p√≥s-gradua√ß√£o.

ModelVitiDouro vai prever par√Ęmetros de produ√ß√£o de vinho no Douro

October 7th, 2015

O ModelVitiDouro vai permitir prever as datas de floracao pintor e maturacao alem de indicadores de producao_reduzida

Ferramenta online, que promete ganhos de eficiência e competitividade para os produtores, vai ser desenvolvida pelo CITAB.

Uma equipa multidisciplinar do CITAB vai desenvolver o ModelVitiDouro, uma plataforma na internet que permitir√° a previs√£o atempada dos par√Ęmetros de produ√ß√£o vit√≠cola na Regi√£o Demarcada do Douro (RDD), juntamente com as adegas cooperativas de Mes√£o Frio (Baixo Corgo), Favaios (Cima Corgo) e Freixo de Espada √† Cinta (Douro Superior).

‚ÄúPretendemos desenvolver um modelo que permita prever com alguma anteced√™ncia os v√°rios estados de desenvolvimento fenol√≥gico da videira, como a data de flora√ß√£o, do pintor, de matura√ß√£o ou at√©, eventualmente, do abrolhamento, e tamb√©m indicadores de produ√ß√£o‚ÄĚ, explica o coordenador do projeto e investigador do CITAB, Jo√£o Santos.

O ModelVitiDouro servir√° para a inser√ß√£o de dados de campo e de algumas informa√ß√Ķes meteorol√≥gicas, recolhidas nas esta√ß√Ķes instaladas nas tr√™s adegas envolvidas, cuja localiza√ß√£o representa as tr√™s principais zonas clim√°ticas da RDD.

‚ÄúIr√° auxiliar as adegas na planifica√ß√£o das atividades ao longo do ano e completar a informa√ß√£o da evolu√ß√£o da vinha que os respons√°veis v√£o tendo em tempo real, com um impacto positivo a n√≠vel econ√≥mico. Isto porque os ganhos de efici√™ncia repercutir-se-√£o em poupan√ßas efetivas e num aumento da competitividade‚ÄĚ, frisa Jo√£o Santos.

O respons√°vel da equipa multidisciplinar do CITAB refere que quando ‚Äúse faz a observa√ß√£o da videira ou das uvas‚ÄĚ nas adegas, muitas vezes, surge a necessidade de ‚Äúcomplementar essa informa√ß√£o com dados cient√≠ficos‚ÄĚ, servindo esta ‚Äúplataforma de base cient√≠fica‚ÄĚ para confirmar a informa√ß√£o emp√≠rica que os viticultores, os engenheiros agr√≠colas e os en√≥logos v√£o tendo no terreno.

‚ÄúO ModelVitiDouro vai permitir corroborar se aquilo que est√° a ser observado era expect√°vel, tendo em conta as condi√ß√Ķes clim√°ticas anteriores, e projetar tamb√©m o que poder√° acontecer no futuro pr√≥ximo‚ÄĚ, sinteza o investigador.

O modelo estat√≠stico-din√Ęmico vai integrar dados meteorol√≥gicos, imagens de sat√©lite e registos de p√≥len da rede do Instituto dos Vinhos do Douro e Porto.

A plataforma online vai ser desenvolvida por uma equipa multidisciplinar do CITAB até 2017, com especialistas em clima, solos, fisiologia vegetal, enologia e agronomia, o que garante que todos os aspetos do desenvolvimento da videira serão devidamente acautelados.

O Modelo de previs√£o do desenvolvimento e produ√ß√£o vitivin√≠cola na Regi√£o Demarcada do Douro (ModelVitiDouro) √© financiado pelo Fundo Europeu Agr√≠cola de Desenvolvimento Rural (FEADER) e pelo Estado Portugu√™s atrav√©s da Medida 4.1. Coopera√ß√£o para a Inova√ß√£o do programa PRODER ‚Äď Programa de Desenvolvimento Rural, num total de 140 mil euros. √Č o primeiro projeto do g√©nero em Portugal, que aposta numa aplica√ß√£o pr√°tica da ci√™ncia, em termos de gest√£o das adegas, e privilegia a liga√ß√£o de parceria entre o CITAB e o setor privado.‚Äč

√Ārea ardida em Portugal ter√° redu√ß√£o dr√°stica se houver preven√ß√£o de inc√™ndios

July 27th, 2015

Com vários cursos na área florestal e ambiental e um corpo docente e de investigadores muito ativo na temática dos fogos a UTADA conclusão é de um estudo coordenado, em Portugal, pelo investigador do CITAB/UTAD e especialista em incêndios, Paulo Fernandes. Políticas deveriam apostar muito mais na prevenção dos incêndios para reduzir a área ardida.

Portugal √© o pa√≠s do mundo onde uma aposta na preven√ß√£o dos fogos florestais daria mais retorno, com uma redu√ß√£o dr√°stica da √°rea ardida. √Č a conclus√£o de um estudo internacional, coordenado, em Portugal, pelo especialista em fogos florestais, Paulo Fernandes.

‚ÄúUma interven√ß√£o na vegeta√ß√£o para prevenir um inc√™ndio, num √ļnico hectare, em Portugal, reduz um hectare queimado no futuro. Pode parecer trivial, como uma substitui√ß√£o, mas √© um valor muito alto. Por exemplo, na Austr√°lia, na floresta de eucalipto, √© preciso intervir em tr√™s ou quatro hectares para reduzir a √°rea ardida por inc√™ndio num hectare‚ÄĚ, elucida o investigador do Centro de Investiga√ß√£o e de Tecnologias Agroambientais e Biol√≥gicas (CITAB), da Universidade de Tr√°s-os-Montes e Alto Douro (UTAD), Paulo Fernandes.

O estudo abrangeu 10 √°reas com diferente clima e vegeta√ß√£o em Portugal, Espanha, Estados Unidos da Am√©rica, Canad√°, √Āfrica do Sul e Austr√°lia e ‚Äú√© bastante representativo das regi√Ķes do mundo mais problem√°ticas em termos de inc√™ndios‚ÄĚ, refere o perito.

Segundo a investigação, a área que arde dentro das fronteiras nacionais é muito mais determinada pelo passado do que qualquer outra região em análise.

‚ÄúO teste √†s medidas de preven√ß√£o d√°-se quando um inc√™ndio encontra uma √°rea convenientemente tratada. Quanto maior for a √°rea ardida, maior √© a probabilidade de tais encontros acontecerem, mas em Portugal a redu√ß√£o de √°rea ardida causada pela interven√ß√£o √© superior √† que seria de esperar‚ÄĚ, explica Paulo Fernandes.

UTAD e CITAB têm equipa multidisciplinar dedicada aos incêndios que pode ajudar o governo num projeto de prevenção nacional

Com v√°rios cursos na √°rea florestal e ambiental e um corpo docente e de investigadores muito ativo na tem√°tica dos fogos, ‚Äúa UTAD tem todas as condi√ß√Ķes para servir nesta √°rea, que consideramos de interesse nacional‚ÄĚ, salienta o especialista.

‚ÄúSe todos os anos intervirmos estrategicamente em cerca de 5% de um determinado territ√≥rio, com o passar do tempo, vamos ter o pa√≠s adequadamente protegido dos fogos florestais‚ÄĚ, declara Paulo Fernandes, que acrescenta que, ‚Äú√† escala nacional, e considerando as regi√Ķes com risco de inc√™ndio elevado, estamos a falar de cerca de 75 mil hectares por ano‚ÄĚ.

As interven√ß√Ķes para a preven√ß√£o de inc√™ndios, que podem ser comparticipadas por fundos comunit√°rios, apresentam custos desde os 50 euros por hectare, com a t√©cnica de fogo controlado, at√© aos mil euros, com meios mec√Ęnicos, ‚Äúdependendo muito das carater√≠sticas e condi√ß√Ķes do terreno, se √© floresta ou mato, plano ou inclinado‚ÄĚ, adverte Paulo Fernandes.

Outras t√©cnicas passam pelo pastoreio ou pela altera√ß√£o da composi√ß√£o florestal, com maior presen√ßa de esp√©cies que ardam com mais dificuldade, nomeadamente por criarem condi√ß√Ķes mais h√ļmidas.

Segundo o investigador do CITAB, este estudo mostra que h√° um caminho alternativo √† ‚Äúaposta dos governos portugueses, que tem sido muito reativa, porque a resposta pol√≠tica a um ano mau de inc√™ndios √© refor√ßar o combate, apesar de se dizer sempre que o problema √© a falta de preven√ß√£o.‚ÄĚ

Na opini√£o de Paulo Fernandes, as prioridades de atribui√ß√£o de financiamento deveriam ser ‚Äúrepensadas‚ÄĚ e o investimento dado √† preven√ß√£o deveria ser ‚Äúsubstancialmente maior‚ÄĚ.

O artigo completo pode ser consultado aqui.

Perigos dos micropl√°sticos e dos f√°rmacos preocupam ambientalistas

July 20th, 2015

Investigadores e alunos da área do ambiente da UTAD fazem recolhas periódicas de peixes para análise dos contaminantes e da qualidade da água

Alta toxicidade, elevadas concentra√ß√Ķes dos contaminantes e riscos para a sa√ļde estiveram no centro da discuss√£o de investigadores de todo o mundo num congresso que decorreu na UTAD.

Os perigos dos micropl√°sticos e dos f√°rmacos est√£o a preocupar os investigadores da √°rea do ambiente, a n√≠vel mundial. Os receios foram expressos durante a √ļltima edi√ß√£o do Congresso Ibero-americano de Contamina√ß√£o e Toxicologia Ambiental (CICTA), que decorreu na Universidade de Tr√°s-os-Montes e Alto Douro (UTAD), e est√£o relacionados, no caso dos micropl√°sticos, com a quantidade de part√≠culas encontradas no ambiente e em diversos alimentos e produtos, e com doen√ßas, como o cancro, que os f√°rmacos podem provocar, ao contaminar a √°gua, o ar e o solo.

‚ÄúT√™m sido detetadas concentra√ß√Ķes surpreendentes de micropl√°sticos no ambiente, quer na √°gua, quer no ar. Por exemplo, h√° cursos de √°gua que recebem 5 mil milh√Ķes destas part√≠culas por dia. O principal problema √© sabermos que os micropl√°sticos t√™m um potencial elevado de toxicidade para todos os organismos‚ÄĚ, revela a investigadora do Centro de Investiga√ß√£o e de Tecnologias Agroambientais e Biol√≥gicas (CITAB), Sandra Mariza Monteiro, e membro da organiza√ß√£o.

Os micropl√°sticos s√£o pl√°sticos de uma dimens√£o reduzida, at√© 5 mil√≠metros, que est√£o presentes em v√°rios alimentos e objetos do dia-a-dia: frutas e hort√≠colas, vestu√°rio, pneus, entre outros. No Homem, s√£o j√° conhecidos os efeitos de acumula√ß√£o nos pulm√Ķes, com dificuldades de expuls√£o pelo organismo.

Algumas das comunica√ß√Ķes ressalvaram o potencial de transmiss√£o dos efeitos destes contaminantes √†s gera√ß√Ķes futuras, tanto no Homem como nos restantes animais.

‚ÄúUma das comunica√ß√Ķes apresentadas, alertou para o facto de, que na primeira lavagem de pe√ßas de vestu√°rio, as emiss√Ķes de part√≠culas de micropl√°stico podem chegar √†s 270 mil, por litro‚ÄĚ, exemplifica Sandra Mariza Monteiro.

Tamb√©m f√°rmacos como os antidepressivos, as p√≠lulas ou os anest√©sicos, t√™m sido detetados no ambiente com ‚Äúefeitos nefastos nos organismos, desde v√°rios tipos de cancro, a altera√ß√Ķes no sistema reprodutor, mudan√ßas no comportamento social, aumento da obesidade e de problemas cong√©nitos, at√© doen√ßas neurodegenerativas cuja frequ√™ncia tem vindo a aumentar,‚ÄĚ explica a investigadora do CITAB.

O CICTA decorreu entre 14 e 17 de julho na UTAD, com a participação de cerca de 180 investigadores oriundos de Portugal, Espanha, Holanda, Reino Unido, Canadá, Brasil, Costa Rica, México, entre outros, e com o apoio dos alunos do primeiro e do segundo ciclo da área do ambiente (Licenciatura em Ciências do Ambiente e Mestrado em Engenharia do Ambiente).

A s√©tima edi√ß√£o do congresso foi subordinada ao tema ‚ÄúSustentabilidade Ambiental: Uma Vis√£o para o Futuro‚ÄĚ, e teve como objetivo refletir sobre a import√Ęncia do uso sustent√°vel dos recursos naturais e da preserva√ß√£o das esp√©cies e respetivos habitats, de forma a n√£o comprometer o futuro do planeta.

Com o lançamento de cada vez mais e novos fármacos, para humanos e para animais, o uso generalizado de agroquímicos e a utilização massiva de plástico, os investigadores alertam para a necessidade de uma aposta clara em estudos que avaliem os riscos associados a estes compostos.

A próxima edição, a decorrer em 2017, em Madrid, Espanha, vai, por isso, seguir a mesma linha temática e estrutura.

‚ÄúO que mais apreciei neste congresso foi a presen√ßa de oradores de topo, n√£o s√≥ dos investigadores da UTAD, mas tamb√©m dos representantes vindos de todo o mundo, de grande qualidade, e admiro o esfor√ßo que a organiza√ß√£o fez em convidar oradores dos Estados Unidos e de outros pa√≠ses,‚ÄĚ salienta o coorganizador do pr√≥ximo CICTA e investigador do Instituto de Diagn√≥stico Ambiental e Estudos da √Āgua (IDAEA), de Barcelona, Espanha, Carlos Barata.

Tamb√©m o investigador Vance Trudeau, da Universidade de Otava, Canad√°, destaca ainda ‚Äúa forma como o congresso est√° organizado, que concede um grande espa√ßo √† discuss√£o. Quando regressarmos, vamos com certeza continuar em contacto e iniciar colabora√ß√Ķes e grupos de trabalho.‚ÄĚ

Entre as possibilidades, estar√° um projeto com a investigadora Ana Coimbra, do CITAB, que vai continuar a estudar os efeitos de f√°rmacos no sistema reprodutor e no desenvolvimento sexual de peixe-zebra, um dos modelos animais mais usados na atualidade para o estudo de doen√ßas humanas e de toxicologia, com o objetivo de identificar consequ√™ncias que estes compostos poder√£o ter nas gera√ß√Ķes futuras.

Congresso Internacional da UTAD alerta para os novos contaminantes da √°gua, ar e solo

July 14th, 2015

CARTAZ CICTA 14-17 julho 2015 UTAD

Investigadores participantes no CICTA vão apresentar estudos sobre alguns dos mil a dois mil novos poluentes que surgem todos os anos. Evento decorre até sexta-feira, na academia transmontana.

Os cerca de mil a dois mil novos poluentes que surgem todos os anos e as necessidades de deteção de novos indicadores e avaliadores de contaminação, como os fármacos e os agroquímicos, e de novas técnicas de requalificação ambiental, especialmente a nível da descontaminação dos solos e dos recursos hídricos, são os principais destaques do Congresso Ibero-americano de Contaminação e Toxicologia Ambiental (CICTA), que arranca hoje na Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro (UTAD). Um evento que se assume como um dos principais fóruns de discussão do setor e dos poucos que estabelece interação entre a contaminação de água, do ar e do solo.

‚ÄúO principal enfoque do CICTA √© a dete√ß√£o de contaminantes nos tr√™s meios, √°gua, ar e solo, os mecanismos associados com a sua circula√ß√£o e o efeito nos seres vivos,‚ÄĚ sintetiza o investigador do Centro de Investiga√ß√£o e de Tecnologias Agroambientais e Biol√≥gicas (CITAB), Rui Cortes.

O especialista em ecologia fluvial frisa ainda o ‚Äúespecial destaque concedido √†s subst√Ęncias emergentes‚ÄĚ, ou seja, contaminantes que apesar de apresentarem concentra√ß√Ķes extremamente reduzidas no meio ambiente, t√™m um papel relevante na altera√ß√£o do equil√≠brio ecol√≥gico e na sa√ļde humana.

A s√©tima edi√ß√£o do congresso √© subordinada ao tema ‚ÄúSustentabilidade Ambiental: Uma Vis√£o para o Futuro‚ÄĚ, e tem como objetivo refletir sobre a import√Ęncia do uso sustent√°vel dos recursos naturais e da preserva√ß√£o das esp√©cies e respetivos habitats, de forma a n√£o comprometer o futuro do planeta.

‚ÄúO CICTA n√£o se limita √† caracteriza√ß√£o dos contaminantes, procura antes meios efetivos para limitar os seus efeitos perniciosos: h√° v√°rias comunica√ß√Ķes que apresentam processos inovadores para reduzir o impacto no meio ambiente e proteger a biodiversidade‚ÄĚ, salienta Rui Cortes.

Um dos exemplos dessa investiga√ß√£o, desenvolvida no √Ęmbito do CITAB e do projeto Sustainsys – Sistemas Agroflorestais Sustent√°veis, financiado por fundos comunit√°rios – √© o estudo que avaliou o impacto de diferentes materiais utilizados em boxes de cavalo, na qualidade do ar interior das instala√ß√Ķes, nomeadamente nas emiss√Ķes de amon√≠aco e outros gases com efeito de estufa.

Al√©m disso, vai ser apresentada uma comunica√ß√£o sobre a inje√ß√£o de CO2 sob o leito dos oceanos para reduzir o efeito de estufa e as altera√ß√Ķes clim√°ticas, bem como os riscos associados a essa t√©cnica, e uma apresenta√ß√£o sobre a descontamina√ß√£o dos solos, atrav√©s da utiliza√ß√£o de vegeta√ß√£o que retira os metais pesados, diminuindo o efeito t√≥xico, e possibilitando a recoloniza√ß√£o vegetal.

Entre os principais receios dos investigadores na contaminação do ambiente constam os agroquímicos e os fármacos.

‚ÄúPreocupam-nos o excesso de compostos org√Ęnicos sint√©ticos (herbicidas e pesticidas), utilizados na agricultura, e que v√£o entrar na cadeia alimentar com efeitos de aumento ao longo dos n√≠veis tr√≥ficos,‚ÄĚ revela Rui Cortes.

Tamb√©m ‚Äúas centenas de novos compostos que surgem anualmente ligados √† ind√ļstria farmac√™utica‚ÄĚ, quer na medicina humana, quer na medicina veterin√°ria, s√£o motivo de apreens√£o pelas consequ√™ncias que ‚Äúv√£o ter nos ecossistemas, especialmente quando s√£o absorvidos pelos organismos vivos, uma vez que s√£o sintetizados para ter uma a√ß√£o biol√≥gica‚ÄĚ, acrescenta.

Todos os anos, cerca de 100 a 200 novos compostos org√Ęnicos s√£o processados e lan√ßados na √°gua. Os que aumentam ao longo da cadeia alimentar (bioamplifica√ß√£o) podem, a m√©dio/longo prazo, provocar diversas doen√ßas no homem, desde v√°rios tipos de cancro, redu√ß√£o da fertilidade, aumento da obesidade e de problemas cong√©nitos, at√© doen√ßas neurodegenerativas, cuja frequ√™ncia tem vindo a aumentar.

√ćndice de an√°lise de grau de polui√ß√£o vai ser apresentado no CICTA

‚ÄúDetermin√°mos um √≠ndice que √© capaz de integrar informa√ß√£o sobre numerosos produtos com impacto ambiental: desde a eutrofiza√ß√£o [polui√ß√£o por esgotos urbanos e industriais] aos contaminantes emergentes. O MELIS integra v√°rios m√©todos e deteta quais os efeitos de metais pesados, produtos industriais, medicamentos, pesticidas, etc.‚ÄĚ, explica Rui Cortes.

O MELIS √© um √≠ndice fi√°vel para an√°lise do grau de polui√ß√£o dos cursos de √°gua, desenvolvido por uma equipa multidisciplinar de CITAB, coordenada pelo especialista, e que dever√° ser implementado em Portugal, nos novos Planos de Bacia Hidrogr√°fica, e na Europa, pelos gestores e entidades p√ļblicas que avaliam e gerem os recursos de √°gua.

‚ÄúN√£o h√° tratamentos de √°gua para estes contaminantes. H√° cada vez mais compostos org√Ęnicos sint√©ticos que, mal entram no meio aqu√°tico, se transformam em novos produtos de composi√ß√£o desconhecida. O mesmo produto pode assumir dezenas de formas diferentes e vari√°veis ao longo do tempo‚ÄĚ, explica o investigador.

Além da discussão de temas relacionados com a contaminação e toxicologia ambiental numa perspetiva integrada, o CICTA pretende divulgar as atividades de Investigação & Desenvolvimento desenvolvidas na Península Ibérica e nos países da América Latina.

O evento decorre até sexta-feira, em Vila Real, e toda a informação complementar pode ser consultada na página oficial do congresso, em www.cicta2015.pt, ou através da rede social Facebook em www.facebook.com/pages/CICTA-2015-UTAD/929091637107932.

Investigadores do CITAB e da UTAD transformam alunos em chefs-cientistas por um dia

June 17th, 2015

Sess√£o Gastronomia Molecular Small

Iniciativa de Gastronomia Molecular surpreendeu mais de 200 alunos da Escola Secund√°ria de Felgueiras no passado dia 5 de junho.

Lollipops de anan√°s e de tangerina e mel, Explosion de mangue en fil (esparguete de manga), Caviar de cores, Bombom Surprise Madame Curie e Xots de coca-cola e seven-up foram os pratos da ementa servida por investigadores do CITAB e da UTAD aos alunos da Escola Secund√°ria de Felgueiras, no dia 5 de junho.

Foi a primeira vez que os investigadores realizaram uma sess√£o de Gastronomia Molecular fora da universidade e as expetativas foram largamente ultrapassadas.

‚ÄúQueremos mostrar que a ci√™ncia alimentar √© divertida e, neste caso, tamb√©m √© comest√≠vel. O desafio foi-nos lan√ßado pela escola e esperamos que os alunos apreciem e repliquem em casa os resultados desta sess√£o de gastronomia molecular, que associa o know how do cozinheiro com o know why do cientista‚ÄĚ, refere Ana Barros, docente e investigadora do CITAB.

A iniciativa do CITAB e da UTAD contou com mais de 200 alunos, incluindo alunos do Curso de Restauração do estabelecimento.